sábado, 4 de dezembro de 2010

SÍMBOLOS NATALINOS – AS VELAS

     Por milhares de anos, até a descoberta da energia elétrica, a vela, a lamparina ou lampião a óleo, as tochas foram as fontes de luz nas trevas noturnas. A minúscula chama afugentava as trevas, dando segurança e calor. Por isso na Antigüidade alguns povos chegaram a cultuar o fogo como divindade.


     Cristo é a luz que ilumina nosso caminho: "Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida" (Jo 8,12). E " vós sois a luz do mundo ... não se acende uma candeia para se pôr debaixo de uma vasilha, mas num candelabro para que ilumine todos os da casa. É assim que deve brilha vossa luz" (MT 5,14-16).

     É uma tradição nórdica. No início as famílias fabricavam artesanalmente suas velas, usando a cera pura fabricada por abelhas, conservando sua cor natural. A chama cintila, serpenteia, atrai e ilumina nosso ser. Na chama da vela estão presentes todas as forças da natureza. Vela acesa é símbolo de individuação e de nossos anos vividos. E um sopro pode apagá-las para que de novo possamos reacendê-las no ano vindouro.

     Os romanos, nas suas festas chamadas de Saturnais, acendiam velas para pedirem que o Sol brilhasse de novo (solstício de Inverno). Mais uma vez o cristianismo absorveu esse costume e tornou-o sagrado à sua maneira, dizendo que, dado que Cristo era a Luz do Mundo, a chama da vela simboliza a sua influência. Simbolizam a luz das estrelas que guiaram os Reis Magos.

     Para o cristão simbolizam a fé e o amor consumido em favor da causa do Reino de Deus. Elas simbolizam Cristo, a luz do mundo, que devemos imitar. As pessoas foram encorajadas a acender muitas velas para reforçar esse simbolismo. Era costume corrente colocar uma ou várias numa janela, para guiar o espírito de Cristo, através da noite escura, para a casa de cada um. Outras eram fixadas à árvore de Natal, mas isto dava origem freqüentemente a acidentes.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...